15 de setembro de 2015

Os Filhos dos Professores

A minha mãe é professora e trabalha na escola onde eu estudo. A maioria das pessoas pensa que os filhos com os professores na mesma escola têm os privilégios todos e ficam a saber das coisas antes de nós. Deixem-me dizer-vos que não é bem assim. Já sofri bastante à conta disso.

No sétimo ano, por exemplo. Os nossos testes de geografia são à base de cruzinhas e uma composição. Ora, eu tive os exercícios das cruzinhas todos bem, e tive 0 na composição. Isso valeu-me um 90% (a composição vale 10%). Houve uma colega minha, que teve dois exercícios das cruzes errados (cada um vale 5%) e teve metade da composição certa. Por isso ela teve 85%. Mas ela achava que devia ter tido 90% também e não descansou enquanto não disse aos outros que eu tive melhor nota porque a professora era amiga da minha mãe.

No início do oitavo, estávamos a corrigir o tpc na aula de inglês. Eu não o tinha feito, e já estava perdida porque a professora estava a avançar na correção demasiado rápido. Ela reparou e perguntou onde é que eu estava para ela dizer o que faltava. Se ela na mesma não tivesse reparado, eu tinha perguntado. A professora ajudou-me. Agradeci-lhe. E depois veio um paspalho a dizer que se fosse com ele a professora não teria feito isso.

E agora digo-vos, muito sinceramente, que ele tinha razão. A professora ajudou-me, não porque eu nasci graças a ela (sim, foi a minha stora de inglês que apresentou o meu pai à minha mãe), mas porque eu adoro inglês, sou muito participativa nas aulas e aquele tpc foi um deslize. Já ele, só conversa, não se interessa por nada, nunca faz nada nas aulas, e depois surpreendeu-se. Obviamente ele não descansou enquanto não disse a mesma coisa que a outra gaja no sétimo ano.
Toda a gente atura gente falsa, isso é sabido. Mas eu, além de ter os falsianes do costume, ainda tenho de lidar com mais uns quantos, só mesmo porque eles querem saber o que vai sair no teste que a minha mãe vai fazer.

Fiz-vos este discurso todo, para que saibam que lá por sermos filhos dos professores não quer dizer que temos privilégios. Somos iguais aos outros. Eu sei que sou a favorita de um ou outro, mas não é por se filha de alguém que eles conhecem, é por ser trabalhadora e tentar fazer o meu melhor. Por isso, para a próxima, antes de irem dizer que o fulano tal, filho do professor x, tem melhores notas que vocês, anda com a mochila mais leve, e sabem as coisas antes de vocês, pensem duas vezes, porque vocês estão a magoar alguém.

Para os que acham que somos melhores:

 Querem mochilas leves? Arranjem um cacifo. Querem ter melhores notas? Estudem. Querem saber das coisas? Informem-se. Porque é assim que isso funciona. É assim que eu funciono. Não sou mais, nem menos que tu. Sou igual ti (com a exceção de que apesar das minhas boas notas tenho o QI do tamanho de uma noz). E respeitem isso. Tenho orgulho nos meus pais e terei sempre, independentemente da profissão deles. E desculpem a raiva, mas estou mesmo furiosa.

5 comentários:

  1. Olá nomeei-te para o Sunshine Blogging Award,gostava muito que respondesses!
    http://colorfade.blogspot.pt/2015/09/sunshine-blogging-award.html

    ResponderEliminar
  2. Sei bem o que isso é... a minha mãe também é professora e eu tirava sempre boas notas. E não tinha nada a ver com ela, sequer...
    A tua mãe trabalha na escola onde tu estudas, a minha mãe não trabalhava na escola onde eu estudava (trabalha numa diferente) e, mesmo assim, havia pessoas que me tratavam como te trataram. Agora pensa o tamanho da inveja das pessoas :)

    ResponderEliminar
  3. francamente, há pessoas tão invejosas e falsas que até chega a ser inacreditável... ainda bem que as consegues detetar à distância!
    eu tb sou como tu, tiro boas notas mas as pessoas dizem que não sabem como isso é possível xD mas lá está, tal como referiste, depende do esforço de cada um
    beijinhos :) http://supergirlinconverse.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Eu tenho um colega que a mãe dele, trabalha no bar da escola. Ela guarda sempre um pastel de nata, para ele, porque à tarde, aquilo tudo desaparece. Quando chega o final do ano lectivo, os alunos que têm manuais da escola, têm de os entregar. O meu colega, já que a mãe trabalha lá, dá-lhe os livros e depois ela da a uma funcionária, os outros, metem-se numa fila, e por exemplo, este ano, estive lá durante umas duas horas.
    Tenho uma colega, que a mãe, trabalha na secretária da escola, cada vez que acaba uma aula, vai direita com a mãe, dar-lhe o manual e o caderno. Ao final do dia, não tem nada dentro da mochila, enquanto, que a turma tem uns quantos manuais e mais os cadernos. E falas aí, dos cacifos, mas esqueces-te que nem todas as escolas, o têm, como a minha. A minha só tem, para quem tem problemas da coluna ou assim.
    E ninguém diz que eles são os melhores, mas iguais a estes meus dois colegas, tem um monte dentro da minha escola e todos deviam ser tratados iguais.
    Enquanto que nós, mais tarde, poderemos ter problemas da coluna, por causa das mochilas, eles não.

    ResponderEliminar

Façam-me chegar as vossas ideias e opiniões na caixa de comentários! Muito obrigado por gastarem um pouco do vosso tempo a comentarem o que escrevo, isso significa muito para mim! I love you all to Saturn and back ♥